Células Missionárias

 

CÉLULAS MISSIONÁRIAS
 
A FORMAÇÃO DE UMA CÉLULA MISSIONÁRIA

 
 
 
 
 
O objetivo da Célula Missionária é levar ao crente a conscientização de sua natureza missionária e abrir caminhos para que o discípulo de Cristo venha a ser produtivo na tarefa missionária, assumindo o seu papel na evangelização mundial. A meta (alvo) é criar um “link” multi-nível entre pessoas com a mesma visão global de proclamação do Evangelho e envolvê-las como parceiros de ministério da Missão Transcultural Etnia.

A Célula Missionária opera em uma Missão Centrífuga, de dentro para fora: ela explode de dentro para fora do indivíduo, levando-o a possuir as nações numa fantástica reprodução celular.


Em 12 anos de ministério, mais de 4 mil pessoas passaram em nosso ministério de férias, tanto nas Missões de Férias para outros países, como nos cursos intensivos de inglês “Speak for Jesus”. Nossa visão era o PROJETO 1000, ou seja, levar mil jovens para missão de férias em equipes de evangelização para outros países. O alvo foi alcançado! Glórias a Deus! Agora, nosso alvo é sair da visão de indivíduos e concentrar na visão de Pequenos Grupos.

MIL CÉLULAS MISSIONÁRIAS AO REDOR DO MUNDO

Nosso alvo é implantar mil Células Missionárias, indo além da evangelização, focalizando a edificação de vidas, o discipulado e conservação de frutos. Iremos às nações que Deus nos indicar, levando esta visão de implantar Células Missionárias que venham a se multiplicar nesses lugares.
Essas Células Missionárias serão divididas em duas categorias:

1. Célula Missionária de Envio:Estas células iniciadas aqui no Brasil são o suporte espiritual
para expandir a ação missionária até os confins da terra. Elas funcionam como um ministério de apoio ao trabalho nos campos missionários, em oração, compartilhamento, sustento, recrutamento e treinamento de obreiros.


2. Célula de Evangelismo: É o trabalho de campo, o trabalho de evangelização. As Células Missionárias nos campos precisam necessariamente ter esta característica evangelizadora.
VOCÊ = 1
--------------
= MUITOS

ISAIAS 51:2 - “Olhai para Abraão. Ele era único (um só) quando eu o chamei, o abençoei e o multipliquei (o  transformei em muitos).” Você é um só, mas Deus pode transformá-lo em muitos, Deus pode multiplicar o seu ministério.

É preciso ter um alto padrão: Devemos garantir o padrão da formação de discípulos, de forma que a célula matriz, a forma-padrão, gere muitos discípulos de boa qualidade.

Formando discípulos: Este é o real sentido do discipulado. Ensinar a outro de modo que, a seu tempo, ele venha também a ensinar a outros.

As palavras comovem, o exemplo arrasta: Multidões de discípulos devem ser arrastados e formados pela nossa visão e dedicação a ela. Desafiar é contagiar, é inflamar as pessoas a fazer algo.
CÉLULA MISSIONÁRIA REPRODUTORA

A única variável real que garante a frutificação da Célula Missionária depende exclusivamente que você trabalhe de tal modo que produza discípulos verdadeiramente capazes de reproduzir. A capacidade de reprodução é o fator fundamental e, devido a este fator, é preciso “escolher a dedo” o novo discípulo.
A escolha de um discípulo:
Observe-o de perto e envolva-o no ministério junto com você. Que ele sempre participe junto com você.

Certifique-se do seu grau de compromisso, responsabilidade, capacidade de envolver outros, paixão pelo que faz. É fiel? É submisso? É dedicado ao que faz?

Ore e selecione com cuidado os seus discípulos.
O CICLO REPRODUTIVO

Cada célula tem um ciclo de vida e reprodução, ou seja, o tempo exato em que ela irá se reproduzir em outras. Neste caso específico da Célula Missionária de Envio, ela deverá reproduzir a cada cinco meses, gerando novas células capazes de reproduzir. O tempo de cinco meses é necessário para que haja um Relacionamento de Discipulado, e não apenas reuniões e estudos de lições.

O 1o semestre estende-se de fevereiro a junho, e o 2o semestre, de agosto a dezembro. Durante todo o semestre é feito um trabalho de relacionamento profundo com esses discípulos para que nos meses de julho e dezembro ocorra a reprodução.
 

A MISSÃO DE FAZER DISCÍPULOS

“El discipulo: todo el que fuere perfecionado, será como su maestro” “Aquele que é plenamente treinado será como seu mestre” Lucas 6:40.


A GRANDE COMISSÃO E O DISCIPULADO
 
A grande comissão, em Mateus 28:19-20, começa com proclamação e pregação do evangelho para todos os povos, propagando a mensagem da cruz para todos. Mas, vai mais além. Jesus manda fazer discípulos, ou seja, há um processo de ensino, de edificação de vidas e conservação dos frutos. A nossa missão vai além de anunciar. É preciso edificar as vidas na Palavra, fazendo verdadeiros discípulos.
 

O MODELO DE LIDERANÇA DE JESUS
Jesus investiu na formação de doze discípulos. Ele gastou tempo com eles. Treinar é transmitir a própria vida, e Jesus se deu nesta tarefa de treinar Seus discípulos. Ele caminhou lado a lado com eles, dando um treinamento prático. Jesus os conduziu ao “afunilamento da intimidade”, ou seja, entre a multidão, Ele gastou tempo com doze, e mesmo entre esses doze, apenas três estavam sempre junto com Ele (Pedro, Tiago e João). Não se faz discipulado por atacado ou em massa, mas na intimidade do relacionamento diário.
 

A força dos pequenos grupos

 
Quantas pessoas devem compor uma Célula? O número de Jesus é o ideal: Ele e mais doze. Mas pode ser de 10 a 15 pessoas. “Duas pessoas são companhias ou companheiros; três já formam uma equipe, e mais de quinze é uma multidão.”
 

As desvantagens de grupos grandes são:

Dificuldade para selecionar pessoas para compor a equipe.
A probabilidade de freqüente mudança de membros.
Encontrar atividades e tarefas que satisfaçam as habilidades de cada membro.
A comunicação entre muitos pode causar desentendimento.
Agendar as reuniões de forma que a data e horário satisfaçam a todos.
Desenvolver o relacionamento (num grupo de 15, há uma série de 210 relacionamentos um a um).
Desenvolver as habilidades de cada um.
O tempo deve ser suficiente para que todos participem e contribuam.
O perigo da formação de sub-grupos (as “panelinhas”) e a formação de conflitos.
Trabalhando em pequenos grupos, eliminando todas essas desvantagens e administramos e lideramos melhor o nosso pessoal. O segredo do discipulado é encontrar pessoas-chaves, é plantar sementes que irão reproduzir. Exemplos: a mulher samaritana de João 4 e o endemoninhado liberto de Marcos 4:35-41.

O DISCIPULADO E A MULTIPLICAÇÃO

Mais uma vez repetimos este conceito: a verdadeira frutificação/multiplicação no Reino é resultado do ministério de fazer discípulos, ainda que você tenha trabalhado somente com 10 pessoas no decorrer de uma década. A única variável real que pode produzir isto depende que você trabalhe de tal modo que produza discípulos verdadeiramente capazes de reproduzir. O segredo do discipulado é encontrar pessoas-chaves, é plantar sementes que irão reproduzir.
O segredo da multiplicação de uma célula é trabalhar com pessoas produtivas, de iniciativa, que realmente queiram se reproduzir, que queiram de fato “transformar a si próprias em muitas”, através do discipulado. O segredo é investir naqueles que realmente fazem alguma coisa. Você precisa priorizar o seu tempo, energia e dedicação para treinar e equipar os que trarão resultados.

COMO SELECIONAR OS DISCÍPULOS

1. Orar pedindo a Deus para mostrar as pessoas certas. Esta escolha deve ser feita com muita oração para que Deus traga até você as pessoas que Ele próprio já escolheu, pois o discipulado é um trabalho muito sério.
2. Relacionar-se com eles, mantendo contato e desafiando-os. Envolva-os no ministério junto com você e participe da vida deles. Que vocês realmente se tornem uma equipe.

3. “Indo (...) fazei discípulos.” Esta é a tradução correta de Mateus 28. Não é apenas IDE, mas INDO, no seu caminho, no seu círculo de influências e amizades, daqueles que estão no seu caminho, porque é mais fácil discipular os que já estão no seu roteiro de vida.
4. Faça um pré-discipulado com a pessoa:

* Fazendo uma reunião de intercessão por missões, leve-a a orar.
* Fazendo debates sobre oportunidades de ministério e vocações.
* Apresente os desafios dos campos missionários.
* Apresente o desafio da evangelização mundial.
5. A manutenção de contatos é a eficácia da Célula, pois vivemos em uma “sociedade sem tempo”, onde não há tempo para relacionamentos, e tudo é feito às pressas. É preciso montar o grupo de acordo com a afinidade de “tempo” e “distância de residência” compatíveis a todos os membros.

Tempo é uma questão de prioridade! Na verdade sempre temos tempo para aquilo que realmente desejamos fazer. Quando, de fato, queremos uma determinada coisa, nada nos detém. A Célula Missionária deve ser uma prioridade em sua vida, porque através dela você vai treinar líderes, você vai se multiplicar.


Através desses Grupos Pequenos manteremos um “link” com as pessoas comprometidas com a visão missionária e a tarefa de evangelização mundial. É preciso dar valor e dedicação às pessoas que você está discipulando.

Você será, na realidade, um “líder de missões”, pastoreando e guiando um grupo na tarefa da proclamação do evangelho a todos os povos. Manter e cuidar são palavras-chaves no discipulado.


FORMANDO UMA CÉLULA MISSIONÁRIA

1

VOCÊ


PEDRO
ANDRÉ
TIAGO
JOÃO
1
1
1
1
2
2
2
2
3
3
3
3
4
4
4
4

Cada um dos quatro acima, Pedro, André, Tiago e João, trazem mais quatro novos discípulos. Este discipulado deverá ser firmado e concluído nos dois primeiros meses.


Os 4 de Pedro Os 4 de André Os 4 de Tiago Os 4 de João

trazem + 4 trazem + 4 trazem + 4 trazem + 4


16 16 16 16
de Pedro de André de Tiago de João
   


Os outros três meses são para firmar o discipulado com o grupo, lembrando-se de se concentrar em Pedro, André, Tiago e João, treinando-os para a liderança de grupo. Esteja sempre com eles, como Jesus esteve.


Você pode iniciar uma Célula Missionária em sua igreja. Se você deseja participar deste programa de Células Missionárias, cadastre-se pelo e-mail.
 

Blog de Intercessão Mundial: Um Clamor pelas Nações! Pare por 5 minutos e interceda pelas nações!